Notícia de Dumont/Guariba/Pradópolis
Inauguração da Central Campo Limpo em Guariba reuniu Ministro, ex ministros e diversas autoridades.
Postado em 18/12/2021

Inauguração da Central Campo Limpo em Guariba reuniu Ministro, ex ministros e diversas autoridades.

Inauguração da Central Campo Limpo em Guariba reuniu Ministro, ex ministros e diversas autoridades.
 
A cerimônia de inauguração do Museu e das novas instalações aconteceu na manhã de hoje . O Sistema Campo Limpo é o programa brasileiro de logística reversa de embalagens vazias e sobras pós-consumo de defensivos agrícolas, que tem como base o princípio das responsabilidades compartilhadas entre todos os elos da cadeia produtiva (agricultores, fabricantes e canais de distribuição, com apoio do poder público) para realizar a devolução dos materiais.
 
Nós trazemos nesta matéria entrevistas com :
Prefeito de Guariba Celso Antônio Romano,
Vice Prefeito de Jaboticabal Nelson Gimenez,
José Antonio Rossato Junior é vice-presidente da Coplana e diretor tesoureiro da Socicana.
Diretor Geral da INPEV Antonio Carlos do Amaral,
Ministro de Meio Ambiente Joaquim Leite.

 

InpEV comemora 20 anos com inauguração de Museu do Sistema Campo Limpo

InpEV comemora 20 anos com inauguração

de Museu do Sistema Campo Limpo

 O Instituto Nacional de Processamento de Embalagens Vazias também celebra a marca histórica de 650 mil toneladas de embalagens vazias de defensivos agrícolas destinadas corretamente durante duas décadas e a nova central de recebimento do país, em Guariba, interior de São Paulo

 São Paulo, dezembro de 2021. O inpEV, Instituto Nacional de Processamento de Embalagens Vazias, completa 20 anos em dezembro e para comemorar este período de pioneirismo e inovação para a agricultura brasileira inaugura, no próximo dia 17, o Museu do Sistema Campo Limpo, localizado em Guariba, região de Ribeirão Preto (SP).

Outro fato a ser celebrado em dezembro é a superação do número de embalagens destinadas corretamente ao longo de duas décadas: 650 mil toneladas, uma prova da bem-sucedida trajetória do inpEV, gestor do Sistema Campo Limpo.  Trata-se de um programa que integra toda a cadeia agrícola (fabricantes, importadores e registrantes, agricultores, distribuidores e poder público) e tornou-se líder mundial ao enviar para o destino ambientalmente correto 94% das embalagens plásticas primárias comercializadas no Brasil.  

 

João Cesar Rando, diretor-presidente do inpEV, destaca que o Sistema serviu de modelo para a Política Nacional de Resíduos Sólidos, marco regulatório fundamental para o setor, que entrou em vigor dez anos depois da fundação do inpEV. “No país, o programa foi um dos primeiros a colocar em prática o conceito que hoje é conhecido como economia circular”.

 

O projeto do Museu é resultado do êxito do Sistema Campo Limpo, que hoje é exemplo para todas as indústrias ao redor do mundo quando se fala em logística reversa e sustentabilidade. “Iniciativas reconhecidas internacionalmente devem ser compartilhadas. Por isso, os visitantes poderão conhecer a história do Sistema, o funcionamento da operação e todo o ciclo da embalagem até a transformação em novos artefatos”, destaca Rando.

 

Com o Museu, os visitantes terão a oportunidade de mergulhar no processo da logística reversa, com acesso a toda a história que levou à concretização do Sistema, começando pela implantação do projeto-piloto em Guariba (1994), sob a gestão da Coplana – Cooperativa Agroindustrial. 

 

Será possível conhecer, de forma lúdica e interativa, as etapas da operação, benefícios e os resultados obtidos ao longo dessas duas décadas, incluindo as primeiras campanhas de divulgação e conscientização.  Painéis, infográficos e artefatos produzidos pelas recicladoras do Sistema serão usados para apresentar a trajetória do programa e o caminho percorrido pelas embalagens pós-consumo. O espaço vai valorizar ainda as equipes que tornaram todo esse trabalho possível, incluindo depoimentos de vários representantes dos elos da cadeia agrícola.

 

 

A expectativa é que escolas e universidades da região realizem visitas rotineiras ao museu para que entendam a concretização do conceito de ESG (sigla em inglês para boas práticas ambientais, sociais e de governança) e de economia circular, modelo perseguido pelas grandes corporações do século 21.

 

O Museu só pode ser viabilizado graças ao apoio da Coplana, parceira do inpEV desde sua fundação, e ao patrocínio de cinco recicladoras do Sistema: Campo Limpo Reciclagem e Transformação de Plásticos, Cimflex, Dinoplast, Plastibrás e Vasitex.

 

Segundo o vice-presidente da Coplana, José Antonio de Souza Rossato Junior, conhecer a história da logística reversa é uma oportunidade de valorização e de compreensão do presente para construção do futuro da produção agrícola moderna e sustentável em nosso país. “Acredito que a iniciativa representa a preservação do legado da logística reversa no Brasil”, diz.

 

Central em Guariba

Agora sob a gestão do próprio inpEV, a central de Guariba mudou de endereço e tem quase 1,2 mil m2 de área construída, aumentando a capacidade de destinação de 500 toneladas para 700 toneladas por ano.

 

Além de ter layout adequado às melhorias de processos desenvolvidas ao longo dos anos, a central foi planejada de acordo com conceito de sustentabilidade. “A unidade terá uma miniusina fotovoltaica, que produzirá energia limpa para abastecer a central de Guariba e mais as unidades paulistas de Araçatuba, Araraquara, Ituverava e São José do Rio Preto.

 

Com uma potência instalada de 38 mil kwh/ano, vai permitir grande redução de custo”, explica Weider Santana, coordenador regional de Operações do inpEV. Ele destaca que haverá esquema de captação de água da chuva para uso em sanitários e aquecimento solar para chuveiros dos vestiários. O inpEV também ficará responsável pela conservação de uma área verde municipal anexa à central, com mais de 3,5 mil m2.

 

Modernizada, a central de Guariba acompanhou todas as fases do Sistema Campo Limpo, e representa o permanente investimento em inovação que resulta em mais eficiência para o programa de logística reversa. Um exemplo é a implantação do Projeto de Rastreabilidade, que adota padrão global de automação para acompanhar todo o percurso das embalagens, levando a aumento de produtividade e ausência de erros. Este projeto foi escolhido o melhor na categoria Sustentabilidade no Prêmio de Automação 2021 da GS1.

 

.

Video (do Facebook)






Jornal Cidades ⓒ Copyright 2022