• Home »
  • Polícia »
  • Policia faz operação especial e prende 12 pessoas suspeitas, entre eles um advogado de Taiuva
Policia faz operação especial e prende 12 pessoas suspeitas, entre eles um advogado de Taiuva

Policia faz operação especial e prende 12 pessoas suspeitas, entre eles um advogado de Taiuva

Uma grande operação policial prendeu 12 pessoas suspeitas de integrar o Tribunal do Crime do PCC.  Entre os detidos está Antonio Reis dos Santos, Tonhão, de Catanduva, apontado como sintonia, o homem com a função de dar a ordem para matar aqueles que desrespeitavam as ordens da organização criminosa liderada por presos.

Foram emitidos 17 mandados de prisão e 20 mandados de busca e apreensão contra os suspeitos que foram executados por policiais nas cidades de Catanduva, Bebedouro, Taiuva, Taiaçu, Mirassol e Ibitinga.

Foram confirmadas duas execuções feitas pelo Tribunal do Crime, Alexandre Pereira de Souza, cujo corpo foi encontrado no dia 28 de outubro de 2017 em adiantado estado de decomposição em Catiguá; e de Marcelo Paulo Alves Silva Júnior, 23 anos, cujo corpo foi encontrado no bairro Pompeu, zona rural de Catanduva, também no ano passado.

O delegado da Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de Catanduva, Helio Bonzani, revela que a polícia conseguiu descobrir os integrantes do Tribunal do Crime a partir da denúncia de um rapaz integrante do PCC, que tinha escapado de um cativeiro em 23 de agosto de 2017.

“Esse rapaz deu uma lista de 17 pessoas que integram esta organização criminosa. Eles sequestraram desafeto em Guaíra e Catanduva. Com base nesta lista iniciamos as investigações e depois de ter todas as provas, pedimos as prisões temporárias dos suspeitos”, explica o delegado.

Todos os 17 seriam subordinados a Tonho que tinha autorização do PCC para coordenar o Tribunal do Crime, a partir de Catanduva, ligados a área 17, que engloba toda região de Rio Preto.

De acordo com a investigação, primeiro os sequestrados eram levados para um chácara na zona rural de Catanduva, onde eram mantidos em cativeiro. Depois eram levados para uma edícula em Bebedouro, onde era feito o julgamento e execução.

Todos os detidos foram levados para Cadeia de Catanduva.

Fonte:https://www.diariodaregiao.com.br

VEJA VÍDEO DO INICIO DO  MOMENTO DA OPERAÇÃO.

https://youtu.be/nOWm8zVa8Rw

https://youtu.be/d1JQlEKeMpY