• Home »
  • Noticias »
  • Dois anos depois de manifesto, reclamações de assédio e machismo na Unesp continuam
Dois anos depois de manifesto, reclamações de assédio e machismo na Unesp continuam

Dois anos depois de manifesto, reclamações de assédio e machismo na Unesp continuam

Dois anos atras estudantes da Unesp fizeram um protesto contra assédio e manifestações de machismo na Unesp em Jaboticabal. O protesto aconteceu em 2016, mas até hoje as reclamações continuam. São alunas que se sentem molestadas por atitudes machistas dentro da unesp.

 – Alguns alunos acham que se as meninas bebem, tem direito a fazer o que quiser. E não é nada disso. O corpo é nosso, e só fazemos aquilo que queremos. Ela ressalta que atitudes do tipo são registradas sempre, e que apesar do movimento na epóca quase nada mudou.

A aluna que nos passou a questão prefere se manter no anonimato.

SOBRE OS PROTESTOS

Na UNESP de Jaboticabal, uma das mais conservadoras em relação a trote, machismo e movimentos sociais, algumas organizações estudantis e a Frente Feminista FCAV se posicionaram de forma enfática contra os alunos opressores e machistas.

As estudantes fizeram cartazes expondo as situações pelas quais já tiveram que passar, e espalharam pelo campus da universidade. O que se vê escrito é, em sua totalidade, que todas foram vítimas das cultura do estupro.