• Home »
  • Noticias »
  • Jovem morta após combinar carona por WhatsApp pode ter sigilo telefônico quebrado a pedido da família
Jovem morta após combinar carona por WhatsApp pode ter sigilo telefônico quebrado a pedido da família

Jovem morta após combinar carona por WhatsApp pode ter sigilo telefônico quebrado a pedido da família

Jovem morta após combinar carona por WhatsApp pode ter sigilo telefônico quebrado a pedido da família

Parentes alegam que ainda há dúvidas sobre inquérito. Jovem saiu de São José do Rio Preto (SP) em carona com suspeito para Itapagipe (MG).

 A família da jovem Kelly Cadamuro, de 22 anos, que foi morta após uma carona combinada pelo WhatsApp, não ficou satisfeita e questiona o inquérito feito pela Polícia Civil de Frutal (MG) sobre o assassinato.

A Polícia Civil indiciou Jonathan Pereira do Prado por latrocínio, ocultação de cadáver e estupro na semana passada. O corpo da jovem foi encontrado no dia 2 de novembro, e Jonathan foi preso em flagrante no mesmo dia.

A família acha que alguns pontos não ficaram esclarecidos, como a mulher que teria combinado carona com Kelly junto com o suspeito, mas que não apareceu.

De acordo com a família, houve também uma ligação sem identificação feita do celular da Kelly depois do assassinato. Por isso, a família deve pedir a quebra do sigilo telefônico da jovem ao Ministério Público.

“Foi solicitado para o delegado a quebra do sigilo. Como ele concluiu o inquérito, não sabemos se ele pediu ou não. Não sabemos se ele tinha pedido para o juiz, e isso foi ou não deferido. Se não houve o pedido, vamos solicitar junto ao Ministério Público”.

FONTE – https://g1.globo.com/sao-paulo/sao-jose-do-rio-preto-aracatuba/noticia/jovem-morta-apos-carona-por-whatsapp-pode-ter-sigilo-telefonico-quebrado-a-pedido-da-familia.ghtml?utm_source=facebook&utm_medium=social&utm_campaign=g1