Região Jovem de 22 anos morre ao ser picada por escorpião

Região Jovem de 22 anos morre ao ser picada por escorpião

Jovem de 22 anos morre ao ser picada por escorpião
Um escorpião tirou a vida de uma jovem de 22 anos deixando uma família traumatizada e muita gente assustada com um caso que poderia ter acontecido dentro de qualquer casa na região. Mãe de dois filhos, a moradora de Trabiju foi picada no domingo e trazida à Santa Casa de Araraquara com reação alérgica. O quadro clínico se agravou e os médicos confirmaram a morte por volta das 16 horas desta segunda-feira, segundo uma parente.
Luana Barbosa (foto) era alérgica e não sabia. “Ela estava em casa com a família quando foi picada. É difícil saber, mas o vizinho coleta materiais recicláveis e o escorpião pode ter vindo de lá”, conta, aos prantos, a sobrinha Daiane Luciano. A jovem teve dores, passou mal e foi encaminhada até Araraquara. No hospital, segundo a sobrinha, sofreu duas paradas cardíacas e ficou sedada. Horas depois, não resistiu. Ela era casada e tinha dois filhos, um de três anos e outro de apenas oito meses.
De acordo com a Secretaria de Estado da Saúde, em São Paulo existem duas espécies de escorpiões: o Tityus serrulatus, ou escorpião amarelo, o mais prevalente, que causa o maior número de acidentes e os de maior gravidade, e o Tityus bahiensis, ou escorpião marrom, também com potencialidade de causar acidentes graves, porém em menor freqüência. A gravidade do envenenamento está relacionada à disfunção cardiorrespiratória, sendo o choque cardiogênico e o edema pulmonar as principais causas de óbito.
Fui picado. O que fazer?
Limpar o local com água e sabão.
Procurar uma unidade de saúde imediatamente.
Se for possível, capturar o animal e levá-lo ao serviço de saúde.
A identificação do escorpião causador do acidente pode auxiliar no diagnóstico e no tratamento.
Compressas mornas no local da picada a caminho do hospital podem ajudar a aliviar a dor.
Como evitar picadas de escorpião?
Examinar roupas, calçados, toalhas de banho e de rosto, panos de chão, tapetes e lençóis antes de usar.
Usar luvas resistentes e calçados fechados quando tiver contato com materiais de construção, lenha, madeira e pedras em geral.
Manter berços e camas afastados, no mínimo 10 cm, das paredes e evitar que mosquiteiros e roupas de cama esbarrem no chão.
Manter limpos os quintais e os jardins, não acumular folhas secas e lixo domiciliar e manter terrenos baldios limpos. (Araraquara Já)