• Home »
  • Noticias »
  • Pesquisas eleitorais – Estatísticos cobram de 500 a 9 mil reais por pesquisa
Pesquisas eleitorais – Estatísticos cobram de 500 a 9 mil reais por pesquisa

Pesquisas eleitorais – Estatísticos cobram de 500 a 9 mil reais por pesquisa

Um dado que chama a atenção nas eleições são que para registro hoje necessita se de um estatistico. Os valores deos serviços destes profissionais chama muito a tenção.

Os valores vão de 9 mil reais a R% 500,00 por pesquisa nas cidades da região conforme mostra os dados do Tribunal superior eleitoral:

PRADOPOLIS – r$ 500,00

BARRINHA – R$ 500,00

TAQUARITINGA – r$ 2.000,00

MATÃO – DUAS PESQUISAS –  r$ 4.850,00 E r$ 9.000,00

JABOTICABAL – r$ 8.000,00

Este foi um dado que chamou a atenção . Vale lembrar que os resultados das pesquisas não são divulgados e não são fiscalizados pelo TSE –

Entretanto Qualquer pessoa que reproduzir os dados estará sujeita a receber multa de R$ 53.205,00 a R$ 106.410,00, conforme o artigo 17 da resolução 23.453/2015 do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Essa resolução reúne as regras para a publicação de pesquisas eleitorais em 2016. De acordo com o seu 2º artigo, o levantamento deve ser registrado “com no mínimo cinco dias de antecedência da divulgação”. O segundo parágrafo do artigo 2 ainda explica a contagem do prazo, que deve excluir o dia do início e incluir o do vencimento. Por exemplo: uma pesquisa registrada no dia 27 de setembro só poderá ser divulgada legalmente no dia 3 de outubro. Esse é o caso do levantamento cuja divulgação pode ser antecipada pelo grupo desesperado. Como o registro foi efetivado na última terça-feira, os dados só poderão ser divulgados no dia seguinte ao da eleição desse domingo (2). Imagem acima mostra a informação explícita no site do TSE.

Os mais desconfiados podem fazer a busca na página ou consultar um especialista em legislação eleitoral. Muita gente pensa que redes sociais como o Facebook estão foram do alcance da lei. A justiça eleitoral tem mostrado que não é bem assim. No dia 24 de setembro, o responsável por um perfil dessa rede social foi condenado a pagar multa de R$ 53.205,00, por causa da divulgação irregular de suposta pesquisa