Unesp promove atividades de integração e alcance social a novos alunos

Unesp promove atividades de integração e alcance social a novos alunos

Recepção aos ingressantes
Unesp promove atividades de integração e alcance social

O dia da matrícula e a primeira semana de aulas dos alunos ingressantes na faculdade são, quase sempre, marcados pela recepção aos calouros. Ações já tradicionais, como pedágios nas esquinas para arrecadar dinheiro (a ser utilizado em festas), rostos pintados e cabeças raspadas foram, em meados dos anos 1980, assumindo novas e perigosas conotações, que resultaram em agressões, mutilações e até mesmo óbitos de calouros.

Para evitar que atitudes constrangedoras ocorram na Unesp, a Universidade proibiu o trote em 1999, pela Resolução número 86. Ela estabelece que cada faculdade ou instituto, por meio de sua vice-diretoria, deve definir as diretrizes e atividades de recepção ao aluno ingressante e que eventuais transgressões – agressão física, moral ou outras formas de constrangimento, dentro ou fora do espaço físico da Universidade – serão consideradas faltas graves, passíveis de suspensão ou expulsão.

A Resolução número 86 está em consonância com a Lei número 10.454, promulgada em 1999, e com a Lei número 1.365, promulgada no ano seguinte, ambas abolindo o trote e instituindo ações solidárias.

Fomentar saúde, cultura, esporte e lazer
Para não acabar com a tradição, que simboliza a passagem de uma etapa da vida para a outra e, principalmente, significa a aceitação do novo aluno no mundo universitário, diretores, professores e estudantes da Unesp se mobilizam para criar formas inovadoras de recepção aos calouros, caracterizadas por atividades solidárias e de alcance social, como arrecadação de gêneros alimentícios e plantio de árvores.

A Universidade conta com um Grupo de Trabalho (GT) de Prevenção da Violência. Aprovado dia 10 de março de 2015 pelo Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão Universitária (CEPE), coordenado pela vice-reitoria e com a participação de docentes, alunos e servidores técnico-acadêmicos de diferentes unidades da Universidade, o Grupo criou quatro subgrupos: Formação de Profissionais para Atuação na Área; Conscientização da Comunidade e Divulgação das Ações; Estabelecimento de Marco Regulatório e de Ações de Fomento a Direitos Humanos; e Acompanhamento do Desempenho Acadêmico.

Atuando desde novembro de 2014, mesmo antes de sua criação formal, o GT tem como objetivo fomentar a saúde, a cultura, o esporte e o lazer, criando novos mecanismos, mais próximos do aluno e de suas necessidades em todos os aspectos, acadêmicos, sociais e psicológicos, num contexto que leve em conta o ambiente universitário e a sociedade como um todo. Mais informações: http://www.unesp.br/portal#!/prevencao-da-violencia/

Denúncias contra trote violento ou contra qualquer outra espécie de violência podem ser realizadas junto à vice-direção da Unidade, à Ouvidoria Local ou à Ouvidoria Central (ouvidoria@reitoria.unesp.br). Contatos: http://www.unesp.br/portal#!/ouvidoria_ses

Os contatos gerais para realizar denúncias contra trote violento estão em: http://unesp.br/disquetrote/
Material encaminhado pela Pró-reitoria de Graduação aos diretores de unidade e coordenadores executivos aqui.
Material encaminhado pela Pró-reitoria de Graduação aos estudantes aqui.
Material encaminhado pela Pró-reitoria de Graduação aos ingressantes aqui.
Calendário de início das aulas da Unesp
11/2 – ICTS – Sorocaba – não há vestibular no final do ano
22/2 – IBB (Botucatu), FCAV (Jaboticabal)
29/2 – FMVA e FOA (Araçatuba); FCF, FCLAr, FOAr e IQ (Araraquara); FCL (Assis); FC (Bauru); FCA, FMB e FMVZ (Botucatu); FCAT (Dracena); FCHS (Franca); FE (Guaratinguetá); Itapeva; FFC (Marília); Ourinhos; Registro; Rosana; Ibilce (São José do Rio Preto); ICT (São José dos Campos); IA (São Paulo); IB/CLP (São Vicente); e FCE (Tupã)
1/3 – IB e IGCE (Rio Claro)
7/3 – FCT (Presidente Prudente) e São João da Boa Vista
14/3 – FE (Bauru)
21/3 – Faac (Bauru)
28/3 – FES (Ilha Solteira)
Número de vagas por cidade
As cidades para as quais há oferta de carreiras neste vestibular são Araçatuba (170 vagas), Araraquara (855), Assis (405), Bauru (1.045), Botucatu (600), Dracena (80), Franca (400), Guaratinguetá (310), Ilha Solteira (310), Itapeva (80), Jaboticabal (280), Marília (475), Ourinhos (90), Presidente Prudente (640), Registro (40), Rio Claro (490), Rosana (80), São João da Boa Vista (40), São José do Rio Preto (460), São José dos Campos (120), São Paulo (185), São Vicente (80) e Tupã (120).
Inclusão social
Em 2015, cerca de 3.300 alunos egressos de escolas públicas ingressaram na Unesp. No Vestibular 2016, o Sistema de Reserva de Vagas para a Educação Básica Pública (SRVEBP) garante um mínimo de 35% das vagas de cada curso para alunos que tenham feito todo o ensino médio em escola pública, proporção essa que deve chegar a 50% até o Vestibular 2018. Atualmente, vários cursos da Unesp já tem 50% ou mais de seus alunos vindos da escola pública, mas o SRVEBP garante que isso se dê em todos os cursos de graduação que a universidade oferece.
Os alunos ingressantes vindos de escolas públicas e/ou de baixa renda podem contar com os inúmeros programas de apoio à permanência estudantil: moradia estudantil, bolsas de auxílio manutenção, dentre outras. Dentre os alunos de escolas da Secretaria da Educação que se inscrevem para o vestibular mediante a senha retirada em suas escolas, os de melhor classificação recebem bolsas válidas para todo o período do curso no qual ingressaram.

Programa de Inclusão
No vestibular de 2016, a Unesp ofereceu 35% das vagas de ingresso, mediante vestibular, destinadas a egressos da escola pública, correspondendo a 2.063 vagas do total de 7.355 oferecidas.

Num levantamento feito logo após a 1ª chamada do vestibular, apurou-se que das 176 opções de entrada, 104 tiveram entre 35 a 40% de candidatos aprovados oriundos de escola pública; 61 entradas ultrapassaram os 40%; apenas 11 entradas não atingiram o percentual, regulando entre 33 e 34%, de candidatos habilitados egressos de escola pública.

A média apurada na 1ª chamada do vestibular é de 43% de candidatos aprovados que se inscreveram pelo Sistema de Reserva de vagas para a Educação Básica Pública (estão incluídos nesses dados os autodeclarados PPI – pretos, pardos e indígenas).

Sobre a Unesp
A Unesp, Universidade Estadual Paulista, é uma universidade pública, gratuita, que está entre as maiores e melhores do país. Está presente em 24 cidades do Estado de São Paulo com 34 faculdades e institutos, onde desenvolve atividades de ensino, pesquisa e extensão em todas as áreas do conhecimento. Fundada em 1976, a instituição oferece 185 cursos de graduação e 141 programas de pós-graduação. Tem 50.594 alunos (37.388 na graduação, 13.216 na pós stricto sensu e 992 na parceria entre Unesp e Univesp), 3.880 professores e 7.071 servidores técnico-administrativos. Possui cerca de 1.900 laboratórios. Oferece cursos pré-vestibulares gratuitos em suas unidades, bem como diversos programas de extensão de serviços à comunidade. Três escolas de ensino técnico são mantidas pela Universidade: o Colégio Técnico Industrial em Bauru, o Colégio Técnico Industrial em Guaratinguetá e o Colégio Técnico Agrícola em Jaboticabal.
Há anos a Unesp e a Vunesp, em convênio com a Secretaria da Educação, executam o Programa de Divulgação do Vestibular Unesp e Inclusão dos Melhores Alunos da Escola Pública na Universidade: professores da Unesp vão às escolas públicas conversar com os alunos do Ensino Médio sobre a universidade e seu vestibular. Trata-se de uma atividade extensionista que visa levar para os estudantes informações sobre a universidade, seus cursos, programas de apoio ao aluno ingressante e esclarecer quanto às oportunidades de virem a cursar uma universidade pública, gratuita e de qualidade. Os professores da Unesp vão às escolas acompanhados por alunos da Unesp egressos de escolas públicas, que compartilham com seus colegas do Ensino Médio a experiência no vestibular e a vida na universidade. Durante as visitas, percebe-se que muitos alunos passam a cogitar a continuidade dos estudos na universidade.