• Home »
  • Noticias »
  • Voto impresso, além do eletrônico, é defendido por Baleia Rossi e o novo sistema será utilizado nas eleições de 2018
Voto impresso, além do eletrônico, é defendido por Baleia Rossi e o novo sistema será utilizado nas eleições de 2018

Voto impresso, além do eletrônico, é defendido por Baleia Rossi e o novo sistema será utilizado nas eleições de 2018

Apesar da publicação no Diário Oficial da União, na última segunda-feira, 30, de que as eleições municipais de 2016 serão manuais e não com voto eletrônico, devido ao contingenciamento de gastos, em 2018 teremos os dois sistemas: eletrônico e impresso. Isso porque o Congresso derrubou o veto da Presidência da República e estabeleceu também a adoção do voto impresso nas eleições. O deputado Baleia Rossi (PMDB – SP) acredita na eficiência do novo modelo, principalmente pela possibilidade de se fazer uma conferência do resultado eletrônico a partir de uma pequena amostra do registro físico.

“Apesar da burocracia, acredito que o voto impresso vai garantir mais segurança e transparência nas eleições, por isso votei para derrubar o veto”, explicou Baleia.

Votação – Aprovada pelo Congresso na minirreforma eleitoral, a impressão do voto foi vetada pela Presidente da República em setembro. Porém, na semana passada na Câmara, 368 deputados votaram pela derrubada do veto da Presidência e apenas 50 votaram pela manutenção, além de uma abstenção. No Senado, 56 senadores votaram pela derrubada do veto e apenas cinco votaram pela manutenção. Para derrubar um veto, são necessários pelo menos 257 votos na Câmara e 41 no Senado.

Apesar da votação, os técnicos da Justiça Eleitoral argumentaram que o novo sistema será utilizado somente a partir de 2018.

Como vai funcionar – No processo de votação eletrônica, a urna vai imprimir o registro de cada voto, que será depositado, sem contato manual do eleitor, em um local previamente lacrado, mas antes disso o eleitor terá tempo de conferir se corresponde ao que ele digitou na urna. Isso permitirá a recontagem manual dos votos, caso o resultado seja contestado.

“O sistema eletrônico é absolutamente seguro,comprovado inclusive por auditoria realizada por um partido da oposição, mas acredito que a impressão dá mais segurança ao eleitor ”, concluiu Baleia Rossi.