Arnaldo Jardim – Trabalhando na Agrishow

Arnaldo Jardim – Trabalhando na Agrishow

Trabalhando na Agrishow

Nesta semana trabalho sediado em Ribeirão Preto (SP), cidade onde se realiza a 22ª Feira Internacional de Tecnologia Agrícola em Ação, a Agrishow 2015. Entre 27 de abril e 1º de maio, o gabinete da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo (SAA) se transfere para sede do evento: a maior feira do gênero da América Latina e uma das três maiores do mundo.

Como em outros anos, a Agrishow é acolhida no Polo Regional de Desenvolvimento Tecnológico dos Agronegócios do Centro-Leste/Centro de Cana, uma área de 440 mil m² da SAA que se transforma na maior vitrine do agronegócio paulista por reunir tecnologias de ponta e novidades recentes que suportam e impulsionam o setor agropecuário brasileiro. Com 821 ha, o Polo funciona durante todo o ano como um centro de pesquisa voltado à cana-de açúcar, pecuária de leite, sistemas de plantio direto e forrageiras.

A realização da feira, na época do ano em que os agricultores estão terminando de colher a safra anterior e se preparam para a próxima, é o momento ideal para decidir sobre investimentos em novas máquinas, implementos e insumos. É a oportunidade de conhecer os avanços e os resultados de pesquisas agrícolas e metodologias de produção.

Mas é também o tempo dos produtores consolidarem o conhecimento sobre as políticas públicas sob as quais produzirão. Neste ano, sob a certeza incômoda da elevação da taxa de juros dos financiamentos e muitas dúvidas quanto ao montante e à execução do crédito agrícola, por parte do governo federal. Apreensivos sobre o que o governo federal anunciará de verdade para o plano de safra e céticos quanto as sempre vagas promessas de prestigiar o setor que mais tem sustentado a economia brasileira.

Formulada pelas principais entidades ligadas ao agronegócio brasileiro, como Abag – Associação Brasileira do Agronegócio, Abimaq – Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos, Anda – Associação Nacional para Difusão de Adubos, Faesp – Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de São Paulo e SRB – Sociedade Rural Brasileira, a Agrishow é um termômetro da agricultura brasileira. A única feira que tem presença garantida de pequenos, médios e grandes fabricantes e produtores rurais de todos os portes.

A expectativa inicial era de que a Agrishow 2015 recebesse representantes de 800 marcas, mais de 160 mil visitantes e concretizasse negócios de ao menos R$ 2,7 bilhões até 1º de maio. Na primeira edição da feira, em 1994, participaram cerca de 80 empresas expositoras e um público de 17 mil visitantes. Um ano depois, o número de visitantes já se aproximava de 60 mil pessoas. O crescimento persistente da Agrishow indica um caminho futuro promissor para as atividades dos agricultores e da agricultura.

Mais uma vez reunidos na Agrishow lembramos como a agricultura continua sendo a grande fiadora da estabilidade e do desenvolvimento brasileiros. E mais uma vez chamamos a atenção para o ainda inexplorado potencial do País. Temos no Brasil e em São Paulo áreas mais do que suficientes para seguirmos no bom caminho estratégico de fortalecer nossa agricultura desde que o governo – em todos os níveis – se proponha a fazer a lição de casa que se expressa, por exemplo, em planos plurianuais de safras, em sistemas consolidados de defesa agropecuária, fortalecimento das cooperativas rurais, do seguro e do crédito agrícolas, da pesquisa e da inovação. Enfim, no estabelecimento de políticas públicas integradas em todas as áreas.

São Paulo abriga uma intensa e diversificada atividade agropecuária. Por isso os desafios da gestão pública relativos aos tratos da terra renovam-se diariamente. A cada ano apresentamos na feira nossos propósitos e nossas propostas. Neste ano, por exemplo, o governador Geraldo Alckmin divulgou novos investimentos para agricultura paulista. No Programa Pró-Trator serão liberados R$ 85 milhões para novos financiamentos que somam, desde seu início (2009), R$ 585 milhões. O prazo de financiamento será aumentado para até oito anos.

No Programa Pró-Implemento serão liberados mais R$ 35 milhões (R$ 135 milhões. Desde o início, em 2012).  E mais R$ 25 milhões serão destinados para a subvenção do prêmio de seguro rural, totalizando desde 2003, R$ 164 milhões. Esses recursos são concretizados por meio do Feap (Fundo de Expansão do Agronegócio Paulista). Para as 29 linhas de custeio e investimento, estão liberados R$ 50 milhões, e para as modalidades de Contrato de Opção e Projeto Integra SP, que subvenciona a correção de grandes erosões, ambas não reembolsáveis, são mais R$ 12 milhões.

São Paulo é o único estado que oferece aos seus produtores rurais linhas de financiamento de tratores e implementos com juros zero. Por meio da secretaria, São Paulo também está apresentando novos cultivares de algodão, milho, milho pipoca e sorgo e lançando a primeira etapa da Campanha de Vacinação contra a febre aftosa.

Esta é boa hora de lembrar que a agricultura foi sempre uma área estratégica para o País e uma das opções genuínas de apropriação do nosso território e geração de riquezas embora tenhamos desperdiçado oportunidades e tratado dos nossos recursos naturais de maneira leviana: talvez pela “natureza urbana” com que foi moldada a cabeça do brasileiro a partir da segunda metade do século passado.

A Agrishow sempre tem antecipado a face moderna da atividade agropecuária. É ocasião especial de fazer convergir as propostas para um projeto nacional de apropriação produtiva, respeitosa ao meio ambiente, consoante às funções constitucionais da propriedade, adequada e sustentável das nossas terras sem o qual os brasileiros não sobreviverão de maneira digna.

30/04/2015

Arnaldo Jardim é secretario de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo