Novo Bispo faz saudação a Diocese de Jaboticabal

Novo Bispo faz saudação a Diocese de Jaboticabal

SAUDAÇÃO DE DOM EDUARDO PINHEIRO DA SILVA

AO CLERO E AO POVO DA DIOCESE DE JABOTICABAL

Aparecida, 22 de abril de 2015.
Queridos irmãos e irmãs da Diocese de Jaboticabal.

Aos pés de Nossa Senhora Aparecida e sob seu manto acolhedor e acalentador, aqui me encontro! Confio a Ela este novo tempo que Deus nos concederá viver, juntos, como Comunidade de fé para contribuirmos com a construção do seu Reino. Pelo desígnio de seu amor, Ele quis que eu continuasse a minha caminhada cristã e vocacional no meio de vocês.
Não nos conhecemos nem nos escolhemos. Mas, o que importa isto se estamos debaixo da mesma ação misericordiosa Daquele que nos prometeu estar conosco até o fim dos tempos? Os mistérios divinos são insondáveis e desconcertantes, mas, seguramente, cheios de benevolência.
Há tempo eu os tenho em meu coração com minhas orações. Sem saber sobre o futuro que me aguardava me senti impulsionado a pedir, cotidianamente, luzes do Espírito Santo e graças divinas para que, tanto eu quanto vocês, pudéssemos acolhedor com gratuidade esta novidade. O espírito de fé, o amor cristão e a missão comum nos unem e são capazes de quebrar toda e qualquer barreira. Quando nosso olhar se fixa no ressuscitado e nosso coração se deixa inundar pelo seu amor, nossos sentimentos são purificados e nossos braços são fortalecidos! Partamos da certeza de que cada um de nós, fazendo parte da história do outro, se enriquecerá na medida em que se entregar com confiança ao projeto de Deus.
Minto se lhes dissesse que não fiquei abalado com o chamado a mim dirigido pela Santa Mãe Igreja para assumir este novo chão para o qual me dirijo. Mas, mais uma vez em minha vida e caminhada vocacional, a voz silenciosa e obediente de nossa Mãe, Maria, marcou a fundo o meu ser para que eu conseguisse responder positivamente a este pedido. Ela sentiu medo; eu, também! Ela respondeu “sim”; e eu, também! E agora desejo, com Ela, viver generosamente o “eis-me aqui, faça-se em mim segundo a tua vontade”!
Parte o coração ao saber que deverei me retirar, fisicamente, do convívio salutar e carinhoso do meu povo da Arquidiocese de campo Grande, MS. Ali vivi meus primeiros anos de sacerdócio e de episcopado. Laços e abraços me fizeram mais gente e mais cristão. Nestes dias, carregando o peso desta responsabilidade assumida, tenho me ajoelhado aos pés da Mãe Aparecida. E se de um lado de seu manto coloco a vida de vocês de Jaboticabal, do outro, coloco meus amigos de Campo Grande. Deus me quis ali, durante 20 anos entre serviço salesiano sacerdotal e episcopal. E agora Deus me colocou aqui. Ajudem-me a ser fiel ao que Deus me pede e ajudem-me a entender o que ele quer de mim, como Pastor, no meio de vocês.
Disse em meus agradecimentos há dez anos, no dia da ordenação episcopal: “Deus brinca com a gente”. E mais uma vez ele age assim. Sabendo da minha fraqueza diante de tão grande responsabilidade, ele me inundou de pequenos sinais para que eu me sentisse encorajado para a resposta afirmativa. Vejam! O convite veio em dia de sábado, dia dedicado à devoção mariana, e justamente no aconchego da Casa da Mãe! O contexto de retiro no qual me encontrava quando fui abordado pela sua Excelência, o Núncio Apostólico, me revelou que este chamado era algo sério e vinha do alto! Por sua vez, a presença de todo episcopado reunido em Assembleia neste momento desafiador de minha vida revela-me que a força fraterna destes meus irmãos não me faltará. Deste modo, Ele me cercou de carinho para que eu não me sentisse sozinho e inseguro diante do inusitado!
Não bastasse isso, fui agraciado naquela noite com uma providencial Vigília com os jovens. O rosário ali rezado pelas naves da Basílica e a Adoração Eucarística com a qual finalizamos este momento me deram a certeza de que eu podia seguir em frente! Os jovens me levaram a Maria; Maria me levou ao seu filho; e agora Cristo me leva a vocês!
Que São Francisco de Sales me alcance a graça da ternura, principalmente com os mais necessitados. Que São João Bosco, pai e mestre da juventude, em seu bicentenário de nascimento, interceda por um ardoroso e criativo pastoreio. Que Nossa Senhora Aparecida, “Auxiliadora dos Cristãos”, me acompanhe em cada pensamento, sentimento, relacionamento, decisão, pronunciamento e serviço.
Na pessoa de meu querido irmão, D. Vitório Pavanello, e de D. Dimas Lara Barbosa, atual Arcebispo de Campo Grande, agradeço a todos quanto, como eles, nestes anos, apostaram em meu episcopado e me concederam inúmeras oportunidades para a vivência de minha vocação e, principalmente, para a dedicação ao trabalho junto aos jovens, em nível nacional.
E a vocês, meu muito obrigado por me acolherem no segredo do desconhecido e na fé que nos une e nos torna um só coração! Em espírito de família e de confiança, façamos tudo pelo amor de Deus, como Igreja e para o bem de todos.
Deus os abençoe!

+ Eduardo Pinheiro da Silva, sdb