Notícia de Matão/Taquaritinga
Hospital de Matão faz apenas cirurgias de emergência para economizar sedativo
Postado em 02/07/2020

Hospital de Matão faz apenas cirurgias de emergência para economizar sedativo

Com o aumento dos casos confirmados do novo coronavírus, Matão (SP) está em alerta pelo avanço da doença que já contaminou 96 pessoas na cidade. No Hospital Carlos Fernando Malzoni, onde quatro pacientes com Covid-19 estão na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), as cirurgias eletivas (que não são urgentes) estão suspensas. A medida é preventiva com o objetivo de economizar medicação.

De acordo com o diretor técnico do hospital, César Minelli, atualmente está fantando anestésico e relaxante, que podem ser usados em pacientes entubados, por isso a estrutura foi reorganizada para que ninguém seja prejudicado. A mesma medida foi tomada pela Santa Casa de São Carlos.

“Estão sendo feitas somente cirurgias de urgência para que haja disponibilidade de medicamentos anestésicos a relaxantes musculares”, disse.

Há, atualmente, dez pacientes internados com Covid no hospital, seis deles em enfermaria e quatro na UTI. “Dois da UTI estão com ventilação mecânica, mas estão com o quadro estável”, disse.

O hospital é o único da cidade e recebe todos os pacientes com Covid-19 que precisam de internação, já que a prefeitura optou por não montar uma estrutura extra, como um hospital de campanha para o tratamento da doença.

“Nós vimos que seria um gasto desnecessário, uso abusivo do dinheiro público e, até o momento, esse hospital não é necessário”, disse o secretário municipal de Saúde, João Guimarães Junqueira.

Aumento súbito

O município vinha apresentando um aumento pequeno de casos por dia, entretanto na terça-feira (30) foram registrados 33 casos de uma única vez e o número de contaminados passou de 61 para 94. Nesta quarta-feira (1º) foram registrados mais dois casos e o total agora é de 96, o que representa um aumento de 57,4% em dois dias.

FONTE EPTV SÃO CARLOS

O secretário da Saúde explicou que mais pessoas passaram a fazer os testes para diagnosticar a doença, mas esse não é o único motivo para o aumento do número de casos. “As pessoas saem na rua, até para o próprio trabalho, e isso era esperado, o aumento dos casos”, afirmou.

.



Jornal Cidades ⓒ Copyright 2020