Notícia de Pitangueiras/Taiaçu/Taiúva
Saúde em alerta  | Três pacientes morrem com Covid-19 em Pitangueiras, à espera de leitos de UTI
Postado em 23/03/2021

Saúde em alerta | Três pacientes morrem com Covid-19 em Pitangueiras, à espera de leitos de UTI

Saúde em alerta ?? | Três pacientes morrem com Covid-19 em Pitangueiras, à espera de leitos de UTI
 
Segundo gerente da Santa Casa, vagas foram solicitadas à central de regulação do estado, mas foram negadas por indisponibilidade. Dezesseis pacientes aguardam transferência para hospitais da região.
Três pacientes com Covid-19 morreram na Santa Casa de Pitangueiras (SP) à espera de um leito de unidade de terapia intensiva (UTI), segundo o gerente do hospital, Ricardo Augusto da Silva.
 
“Esses pacientes que vieram a óbito não conseguiram vaga no sistema Cross. O sistema informa que não possui vaga na região. Cobrávamos, pedíamos, mas não saía vaga”, diz.
A cidade de 40 mil habitantes integra a Diretoria Regional de Saúde 13, com sede em Ribeirão Preto (SP), e não tem leitos de alta complexidade. A transferência de casos graves para hospitais da região é feita por meio da Central de Regulação de Oferta de Serviços de Saúde (Cross), da Secretaria Estadual de Saúde.
 
Segundo Silva, nesta terça-feira (23), dos 23 pacientes internados na Santa Casa de Pitangueiras, 16 aguardam uma vaga de UTI na região.
 
“A gente nunca teve uma superlotação dessa. Tem 16 pacientes aguardando vaga no sistema Cross. Eles precisam ir para a UTI. A resposta é que está sem vaga no momento.”
Procurada, a Secretaria Estadual de Saúde não comentou o assunto até a publicação desta matéria.
Drama
A cuidadora de idosos Maria Cecília de Fátima Viesba, de 55 anos, é uma das moradoras infectadas com o coronavírus que morreu sem receber cuidados intensivos.
Segundo a filha, Maria Cecília foi internada no dia 14 de março e precisou receber oxigênio. Ela aguardou a regulação por cinco dias, mas o quadro se agravou e ela morreu na quinta-feira (18), sem que o leito de UTI fosse liberado.
“Ela já não conseguia mais ficar sem o oxigênio. Eles iam colocar ela na lista de vagas para espera. Se acaso acontecesse algo pior, eles não tinham estrutura pra manter a minha mãe lá. É muito difícil a gente ter um ente querido internado e não poder fazer nada por ele, não poder ajudar de uma outra forma”, diz Simonia Viesba.
De acordo com o gerente da Santa Casa, as outras duas vítimas são uma mulher de 75 anos e um homem, de 82.
“A gente fica aguardando angustiado com a situação. Nunca foi assim, sempre conseguimos vaga, só que é devido à superlotação que está na região. A situação é grave, nunca passamos por uma situação dessa”, diz Silva.
Aumento de casos
A secretária municipal de Saúde, Andréia Mantovani da Fonseca, afirma que, desde o início de março, assim como o restante do estado, a cidade registra alta no número de novos casos de Covid-19. O aumento impacta a rede hospitalar, principalmente a capacidade de atendimento a casos graves da doença.
“Há 15 dias atrás, tínhamos na faixa de 30 pacientes na unidade gripal e no pronto atendimento. Hoje já está na faixa de 70, 80, por dia. Acaba sobrecarregando a Santa Casa, que precisa de oxigênio, ventilação”, afirma.
Andréia diz que faltam vagas até na enfermaria de hospitais da região e que a situação é crítica no suporte aos pacientes que demandam cuidados intensivos.
“Sempre que a gente entra em contato com a regulação, a Cross da DRS de Ribeirão Preto, eles sempre alegam que estão sem leito de UTI e leito de enfermaria também. Fica impossível fazer qualquer tipo de transferência do paciente para um ambiente melhor de tratamento intensivo.”
Insumos para atendimento
Por causa do aumento da demanda, o gerente da Santa Casa diz que o hospital recorre à compra de oxigênio para fornecer aos pacientes, mesmo com uma usina instalada na unidade de saúde.
“A gente tem uma usina de oxigênio só que não está sendo suficiente porque tem muitos pacientes no oxigênio e estamos tendo que comprar cilindro para suprir a necessidade. No momento, estamos conseguindo comprar, mas se a gente não conseguir comprar e não saírem essas vagas, vai ficar difícil.”
A secretária de Saúde diz que mantém contato com a Santa Casa para manter a operação. “Conseguimos fornecer alguns concentradores que tínhamos nas unidades, cilindros para ajudar, estamos ligando nas usinas. Não estamos omissos a nenhum dos fatos.”
Segundo o boletim epidemiológico desta terça-feira, Pitangueiras soma 2.429 casos de Covid-19 e 70 mortes desde o início da epidemia. A secretária faz um apelo à população para frear o avanço da doença.
“Pedimos ajuda à população para manter o distanciamento, evitar aglomeração, fazer uso de máscara, álcool em gel, ficar consciente de tudo que está acontecendo no município. Em alguns lugares a fiscalização passa, orienta, mas as pessoas ignoram.”
FONTE PITANGANEWS
 
 
 
 
 

.



Jornal Cidades ⓒ Copyright 2020