Notícia de Matão/Taquaritinga
Taquaritinga é a cidade da região com mais obras paradas ou atrasadas
Postado em 06/01/2021

Taquaritinga é a cidade da região com mais obras paradas ou atrasadas

Taquaritinga é a cidade da região com mais obras paradas ou atrasadas

A cidade de Taquaritinga é a cidade da região com maior numero de obras paradas ou atrasadas, segundo um levantamento do Tribunal de Contas.

São cinco obras atrasadas e três obras paradas, num total de R$ 6.612.691,99 – Mais de seis milhões de reais .

O principal motivo de atraso destas obras são:

Modificação do projeto original, rescisão contratual com a Contratada,  reconsideração da rescisão contratual e retomada das obras.                                                                                                                                                                    

Rescisão contratual com a primeira empresa devido ao percentual limite de aditivos. Data de paralisação: considerada a data da última medição. Novo Processo Licitatório será realizado dia 28/10/2019, assim a obra será retomada com nova Contratação.                          

Obra não iniciada devido à Contratada estar aguardando a quitação de outros dois Convênios 052/2017 e 155/2017.                                                                                                                                                                                        

Houve a mudança de local do Centro de Informação ao Turista,  rescisão contratual, reconsideração da rescisão contratual e falta de repasse do Governo Federal. Data de paralisação aproximada.                                                                                                    

Rescisão Contratual, reconsideração da rescisão contratual, retomada das obras, paralisação, notificação e retomada das obras.                                                                                                                                                                              

Documentação para novo processo licitatório já está pronta, apenas aguardando o parecer da Secretaria Especial da Cultura (Ministério da Cidadania) para aprovação da Reprogramação. Data de paralisação: retirada através do processo 5445/2017  protocolado pela própria empresa na época.

ESTADO DE SÃO PAULO

Dos 644 municípios fiscalizados pelo Tribunal de Contas do Estado de São Paulo (TCESP), mais da metade deles – 352 – possuem pelo menos uma obra que apresenta comprometimento de execução contratual. 

Segundo a auditoria, 85,52% das construções problemáticas são de âmbito municipal (1.022), com valores iniciais de contrato que atingem a casa dos R$ 2.530.433.429,43. O restante das obras, que correspondem a 14,48% do total, é de responsabilidade do Estado, e os valores contratuais alcançam a cifra de R$ 44.355.643.833,44.

As informações completas e detalhadas podem ser visualizadas pela plataforma ‘Painel de Obras’, disponível para acesso pelo link https://bit.ly/3oxA6mX.

. Cenário

De acordo com o levantamento atualizado pelo TCESP a cada três meses, até o dia 13 de outubro, nos 644 municípios fiscalizados, 600 obras (50,21%) estavam paralisadas e 595 (49,79%), em estado de atraso. 

Juntos, os empreendimentos estaduais e municipais chegam à cifra de R$ 46.886.077.262,87. As obras paradas somam R$ 35.444.438.675,03 enquanto as atrasadas alcançam o montante de R$ 11.441.638.587,84.

O principal motivo para a paralisação das construções e, assim, o atraso nas entregas, é a inadimplência das empresas contratadas, representando 15,48% do total de obras que excedem o prazo limite de conclusão.

.



Jornal Cidades ⓒ Copyright 2020