Notícia de Pitangueiras/Taiaçu/Taiúva
É um local sem assistência', diz tio de adolescente que morreu ao cair de ponte em Pitangueiras, SP
Postado em 10/12/2020

É um local sem assistência', diz tio de adolescente que morreu ao cair de ponte em Pitangueiras, SP

É um local sem assistência', diz tio de adolescente que morreu ao cair de ponte em Pitangueiras, SP
 
Maria Clara Lima, de 16 anos, caminhava pela estrutura e despencou de buraco na estrutura sob o Rio Mogi na tarde de (29) de Novembro. Segundo a Polícia Civil, caso é investigado como morte acidental.
Tio da adolescente Maria Clara Lima, que morreu após cair de uma ponte em Pitangueiras (SP), diz que a família ainda custa a acreditar na perda da jovem. Diones Lima afirma que a estrutura do local onde aconteceu o acidente é precária e que há trechos sem proteção.
 
"É um local que não tem nenhuma assistência. Muita gente passa ali. Tinha uma passarela ao lado que virou caminho de moto, de veículo, essas coisas. Ali não tem placa, não tem corrimão em alguns pontos", diz Diones.
A estudante tinha 16 anos e morreu na tarde de 29 de novembro, quando passava pela estrada conhecida como Vale do Mogi. Segundo o boletim de ocorrência,A Polícia Civil instaurou um inquérito por morte acidental. De acordo com testemunhas, a adolescente pode não ter percebido o obstáculo porque mexia no celular enquanto andava.
“Às vezes a pessoa vem meio desligada olhando a paisagem e acontece isso”, lamenta Diones. ela estava com um grupo de amigos caminhando na lateral da ponte, que passa pelo Rio Mogi, e caiu em um buraco na estrutura.
Segundo a investigação, a ponte é de responsabilidade do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT). Procurado pelo G1, o órgão não comentou o caso.
 
O tio da adolescente afirma que chegou ao local pouco depois de tomar conhecimento sobre o acidente. Maria Clara foi localizada pelo Corpo de Bombeiros cerca de 40 minutos após a queda, mas já estava sem vida.
“É uma notícia que ninguém espera, ainda mais sendo a minha sobrinha. Para a mãe e a avó, a ficha não caiu ainda.”
A família pretende acionar na Justiça os responsáveis pela ponte. “Como tem moradias de ranchos ali, é um ponto de passagem de todo mundo. O pessoal que mora do outro lado só passa por ali. Se não pode ser utilizado, deveria ser fechado para não ter mais acesso, porque pode acontecer com mais gente”, afirma Diones.
Em nota, a Secretaria de Segurança Pública (SSP) informou que laudos periciais foram feitos e serão anexados ao inquérito policial assim que terminados.
As autoridades responsáveis ainda vão ouvir três jovens que estavam com Maria Clara no momento do acidente. O caso é investigado pela Delegacia de Pitangueiras.
Fonte: G1 - O Portal de Notícias da Globo

.



Jornal Cidades ⓒ Copyright 2020